top of page

Amor, sacrifício e preconceito, são os temas da montagem de “O Rouxinol e a Rosa”

Baseado no conto de Oscar Wilde, o espetáculo traz de volta sessões que acontecem durante a madrugada em São Paulo e conversa diretamente com o público LGBTQIA+ no Brasil.


Amor, sacrifício e preconceito, são os temas da montagem de “O Rouxinol e a Rosa”
Imagem: Barnabé Fotos

O Rouxinol e a Rosa - Um amor que não ousa dizer seu nome” foi escrito por Rony Guilherme Deus, inspirado no conto de Wilde e conta a história de Rouxinol, uma figura mitológica que costumava ter a aparência de um homem no século 19 e que fica aprisionada em um poço, por declarar seu amor por outro jovem soldado.


Ali ela encarna a forma de um homem, uma mulher e um pássaro. E a cada lua cheia ela mescla a sua imagem e saí do poço dando aí o início a sua lenda de guardiã dos casais apaixonados.


Em uma certa noite um jovem aristocrata vai ao poço pedir ajuda para se declarar à sua amada, com uma inexistente rosa-vermelha. A paixão pelo jovem é imediata e, aconselhada por uma velha feiticeira, a bela Rouxinol decide arriscar sua própria vida encostando o peito nos espinhos de uma roseira, tentando dar a vida, com o sangue de seu coração, a rosa vermelha.


Rony, que também assume a direção do espetáculo, acredita que o projeto promove, através da arte, a reflexão sobre o preconceito, a importância da liberdade de expressão e o direito à igualdade para a comunidade LGBTQIA+.


No elenco estão Glamour Garcia, a primeira artista trans a vencer um prêmio revelação por sua atuação, encara o papel da Rouxinol, Bárbara Bruno e Augusto Zacchi.


O espetáculo fica em cartaz até o dia 28 de outubro no Teatro B32. Sextas e sábados às 23h50. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria ou pelo site do teatro.


Comments


bottom of page