top of page

Fernanda Maia, ganhadora de duas edições do Prêmio Shell, estreia solo escrito e encenado por ela

No próximo dia 1º de Setembro estreia no espaço do Núcleo Experimental, sobre a direção de Zé Henrique de Paula, o espetáculo “Denise”, escrito e encenado por Fernanda Maia.


Fernanda Maia, ganhadora de duas edições do Prêmio Shell, estreia solo escrito e encenado por ela própria
Imagem: Laérte Kássimos

A obra permeia a história de 3 mulheres de uma mesma família, e com isso trás lembranças, heranças e memórias. A artista reconhecida por seus feitos de destaque na cena musical paulistana, agora se aventura mais uma vez, trazendo uma obra intimista em que ela própria se joga no palco.


Denise” é um solo que conta a caminhada de três mulheres de uma mesma família. Nina é o eixo dessa história, a peça começa quando a filha de Nina anuncia que está começando um novo relacionamento, o que a deixa muito preocupada, pois dois anos antes, a garota havia tentado suicídio. Ela deseja ficar perto da filha, mas precisa se mudar para a casa da mãe que está com Alzheimer e que não aceita que ninguém, a não ser Nina, cuide dela. Mesmo dividida, ela vai cuidar da mãe idosa e acaba descobrindo coisas sobre a história de sua família que ela desconhecia.


O solo surgiu a partir da experiência de Fernanda ao dar aula de teatro para professores do ensino público, onde ela presenciou a potência do encontro de caminhos, e da consciência deles através da apresentação dos nomes. “Foi uma dinâmica muito forte e transformadora. Surgiram emoções variadas, de traumas a histórias engraçadíssimas, e eu percebi que as pessoas se conectavam com essa sua ‘primeira história’. Então, tive vontade de falar sobre isso numa peça. A história do nome ‘Denise’, na peça, não é a minha história, mas eu acredito que as questões que acompanham a sua linhagem são determinantes para a construção da nossa subjetividade”, revela.


No ano anterior foi possível ver Maia em cena no musical dirigido por Fabiana Tolentino, que também fez temporada no Núcleo, mas desta vez a artista será a única pessoa em cena, em um trabalho intimista e reflexivo.


A obra chega aos palcos no dia 1º de Setembro, e fica em cartaz até o dia 2 de Outubro. As apresentações acontecem às sextas, aos sábados e às segundas, às 21h, e aos domingos, às 19h. Com espaço para 55 pessoas, os ingressos podem ser encontrados no site Sympla ou na bilheteria no horário do espetáculo.


Comments


bottom of page