top of page

Livraria Cultura encerra atividades no Conjunto Nacional


A renomada livraria, inaugurada em 1969 por Eva Herz e posteriormente gerenciada por seu filho Pedro Herz, expandiu sua rede ao longo dos anos, mas sucumbiu às dificuldades do mercado editorial. Após uma tentativa de recuperação judicial, que foi negada em maio, a Cultura cumpre agora a ordem de despejo e encerra suas operações.


A Livraria Cultura ocupava um espaço icônico dentro do Conjunto Nacional, contando com diversas lojas especializadas, como uma dedicada a livros de arte e outra voltada para conteúdos e produtos geek. Além disso, operou livrarias exclusivas de importantes editoras, como a Companhia das Letras e a Record. A entrada em recuperação judicial em abril de 2019, juntamente com a Saraiva, foi interpretada pelo mercado editorial como um reflexo da ambição do setor, mesmo em um momento em que o mercado começava a enfrentar desafios econômicos.


O fechamento da Livraria Cultura marca o fim de uma era para os amantes de livros e cultura na cidade de São Paulo. Sua trajetória de sucesso e inovação deixa um legado importante, porém, evidencia também os desafios enfrentados pelo setor varejista no contexto atual, em que as vendas online e o mercado digital têm impactado significativamente o modelo de negócio das livrarias tradicionais.


Por Pedro Amaral

Comments


bottom of page